visitas
<body>



Marcella Fernanda





    Como era bom o que a gente tinha. E eu queria ser telepata só pra saber se você pensa em mim, de vez em quando, lembra da gente também. Se foi tudo isso pra nós dois ou eu colori demais. E eu odeio essa tendência das histórias à virarem um nada. Eu odeio a transformação brusca da presença intensa em total ausência, sem que se tenha tempo de protestar ou período de adaptação. Acho injusto o amor ser finalizado e levar com ele, de pirraça, os espaços pra qualquer outro tipo de relação. Conhecer uma pessoa incrível tão de perto e ver ela virando um estranho, tão de longe.
    — Marcella Fernanda

    Não sou complicada, sou cansada. E só quem chega nesse mesmo estado, sabe detectar de longe a diferença.
    — Marcella Fernanda

    Chega de gente minha se encontrando fora de mim. Chega de perder amores pra liberdade, que no fundo é só uma droga de gaiola grande. Chega e fim. Aprender a conviver com a solidão me parece bem mais prático do que aprender a abrir mão de pedacinhos de mim.
    — Marcella Fernanda


    Fez tanta questão e agora eu te pergunto: Pra que? Atormentou minha vida, enchia os meus dias, fazia de tudo pra que eu fosse tua e pra que? Um dia me rendi, me entreguei, e me perdi.
    — Marcella Fernanda

    Não se cura um amor com um novo amor. Se cura com amor-próprio.
    — Marcella Fernanda

    Então vamos combinar assim: Fale somente o indispensável. A menos que tenha algo a dizer melhor que o seu silêncio, o que é difícil. Agradeço.
    — Marcella Fernanda

    Ele e seu roteiro batido. Jurando que eu ia me derreter em cada linha, cair de amores no primeiro parágrafo. Mal sabe ele que eu sei cada vírgula de cor e na segunda frase já caia sim, mas de sono.
    — Marcella Fernanda

    Meu apego sem jeito, meio desapegado..
    — Marcella Fernanda


    Numa conversa batida dessas que a gente sempre tem, ele me disse que odiava perder as coisas. Assim, sem nada subentendido, se referindo a uma chave e só. Pensei em perguntar como ele vai se sentir então, quando finalmente perceber que me perdeu. Resolvi deixar pra lá…
    — Marcella Fernanda

    Te esqueci na noite passada, desculpa. Rápido, eu sei, a gente nem chegou a começar, mas uma hora tudo termina, você deve saber também. Pra ser sincera, tô me desculpando por educação, gentileza ou hábito, não que eu devesse algum tipo de desculpa ou satisfação. Pra ninguém nesse mundo, aliás! Tudo bem pra você? Espero que sim, não me importo se não. É assim que é, não é? Tô aprendendo, eu diria. Passei alguns anos repetindo freneticamente, como um mantra maldito, que "quem muito se ausenta, uma hora deixa de fazer falta", uma das frases mais sábias que eu já li e desejava com todas as minhas forças que um dia eu pudesse repetir com total propriedade. Já posso. Melhor, agora se ausentou um pouco, já perdeu o espaço.
    — Marcella Fernanda

    Autocontrole é, de longe, minha maior tentativa de ficar, até hoje. Nunca tive, nem um pingo! Então vê se faz valer.
    — Marcella Fernanda

    A gente não se procura, se rende, essa é a palavra.
    — Marcella Fernanda

    Mulherengo nato, viciado em rabo de saia, nunca me enganou. Carinho não se nega, coração não se entrega e assim ele vivia, eu sabia, sempre soube.
    — Marcella Fernanda

    Página 1 de 2 1 2 »

    Layout retirado do site Blogskins, criado por fallingcloudberries, e adaptado por Certas Coisas.